Pequeno demais

PEQUENO DEMAIS

Letra e música: Lopes Al’Cançado

C                                 G

Sou pequeno de mais para ser alguém

C                                   

Que não queira crescer um

         G                            F

pouquinho de cada veeeez

                                       Em

Quando pequenino aprendi a colorir

Am                                   D7+

Logo, já menino, me puseram a

                      Gm

desenhaaaaaaar

                                                Cm

Depois de crescido me arrisquei a

                F

escreveeeer

                                 Em

Agora já sofrido preciso apagar

           Am              G

Os traços que’u errei bem lá atrás

Am                                     G

Se’u não posso construir

Am                                     G

Que recolham meus tijolos

Am                                     G

O iluminar perde o seu brilho

Am                                     G

Se quem propaga não é um filho

              Am

da luz

C                              G

Sou imenso demais para ser

ninguém

C                                          G

  E querer encolher um montão de

                    F

uma só veeeez

                                            Em

Quando bem velhinho precisei me

retocar

Am                                     D7+

Depois de renovado o sorriso

                Gm

reaprendiiiiiii

                                   Cm

Olhos bem lavados eu já conseguia

           F

leeeeeeer

                                     Em

Agora renascido eu já posso   

perdoar

              Am                   G

Os estragos qu’eu farei quando

errar

Am                                         G

Se’eu não posso reconstruir

Am                                        G

Que enterrem meus destroços

Am                                       G

O iluminar perde o seu brilho

Am                                     G

Se quem propaga não é um filho

da luz

(incidental)

Ô mãe, ô mãe, minha mãe da doce prece

permita-me ser uma vela que se derrete

Ô pai, ô pai, meu pai da doce arte

permita-me ser uma chama que arde

Ficha técnica: Lopes al’Cançado[voz principal]; Johnny Herno [voz participação]; Markos Paullo [arranjos, cordas e teclados]; André Mikin [Bateria]

.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s